quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

À pé, à bala , até



Ferve a roupa de couro,
todo calejado,
o velho mouro
caminha, escaldante sol.
Suor e sangue em seu cajado,
cada passo lembra um estouro,
um balaço,
cada pedaço de sua vida,
um último traço

Uma sombra,
talvez a última do sertão
o vento, o guizo da cobra,
e sua respiração;
todos silenciados de uma só vez.
Quando acaba um, vem mais três.
E que de ruim tem só a sorte,
sorte de povo injustiçado
e esquecido, povo do norte.
lugar que o sol, atiçado
queima, ferve e faz
guerra constante, num povo de sangue de paz!

Gustavo Ruzzene Ramos

12 comentários:

Jack Balls disse...

IRADISSO O TEXTO!
Gostei muito do seu estilo de escrever continue assim "CABA DA PESTE!"

http://confradescanalhas.blogspot.com

Josi Valentim disse...

Adorei o texto, ficou muito bom guri! Parabéns, vou te acompanhar sempre! Um beijo....

Livia Queiroz disse...

Adorei...
Mto bom!!!
Bem a cara do Sertão...


P.S.: vlw pelo comentario!

Lidiane disse...

gostei do texto bem raiz
http://700coisas.blogspot.com

Italo Sena disse...

Muito bom, retrata um tema muito esquecido e motivo e sarropara muitos. Muitos do seetão levam uma vida sofrida, mas também são gente!
Bela imagem, como sempre.
Até logo o/

Mente Cuca disse...

Muito bom :D

Essas coisas de sertão sempre me lembram de Carcará, de João do Vale e José Candito :D e é claro, de Faroeste Cabloco :P Mesmo que não tenha nada a ver, apenas me lembra :D

Espero sua visita:

BLOG MENTE CUCA
http://mentecuca.blogspot.com/

Grande abraço e sucesso!

Pingo de Leite disse...

Lembou-me Guimarães, o grande clássico VIDAS SECAS de Graciliano, mas o termo "mouro" reportou-me imediatamente para dentro da história da Salamanca do Jarau, de nosso querido João Simões de Lopes Neto. Seu texto, enfim, faz intertextualidade com muitos outros, Ótimo para ser trabalhado em aula...

≈ Fααbi Cαrvαlho . disse...

eu juro que li , mas tem algumas coisas que eu sou lerda pra entender ;D
msa talvez uma frase ou outra eu consegui entender , boa escrita , modo de interpretação bem interessante :*

Pamella Abreu disse...

Um verdadeiro poeta!

Beijos.

Serena disse...

Espero que não fique bravo, mas vc parecia um repentista escrevendo e olha que precisa de talento pra isso e vc tem de sobra... Congratulações.



http://messnatural.blogspot.com/

Daniel disse...

Achei muito legal o texto!
Muito bonito!
http://danielisso.blogspot.com/

Caroline Mendes disse...

Gosto muito desse estilo, adoro ler poesias assim, acabam ensinando a gente história, geografia, e a gente nem percebe =D