terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Era um banco em frente ao lago



Naquele dia marcado
sempre aquela festa,
hoje está sépia,
como uma terra
depois de um arado
jamais será esta
nem sequer uma réstia
de nosso tempo.
Tempo que muitos passaram por cima,
tempo que jamais acharemos rima.

Gustavo Ruzzene Ramos

2 comentários:

Wagner Lopes disse...

Adoro quando o dia esté sépia

xuxu disse...

Adoro quando o dia está sépia [2]
Adoro tiarar fotos assim. aleatórias :)
Muito bonito seu texto. aceita uma troca de links?